O que é a Podologia?

O que é a Podologia?

O termo podologia surgiu do grego arcaico com prefixo podo = pés e sufixo logos = estudo, conhecimento, tratado; Sendo assim a podologia é uma área da saúde que estuda, trata e previne as patologias dos pés. Esse cuidado se da na terapia aplicada aos pés com estudos científicos e técnicos, é a área responsável por aliviar as tensões, dores e várias outras agressões que os pés sofrem ao longo de sua jornada.

Conheça algumas patologias

Conheça algumas patologias

Onicocriptose/ Unhas encravadas

O termo “onicocriptose”, nome científico da unha encravada, tem origem grega e significa unha escondida. A unha encrava quando uma das suas bordas, ao crescer, penetra na pele em volta dela. Ocorre comumente no primeiro dedo do pé, conhecido como dedão, causando dor e vermelhidão, comumente gerando infecção e em casos mais graves pode gerar necrose e amputação, não devendo esta patologia ser tratada por nenhum outro profissional que não seja um podologo capacitado para o mesmo.

Onicomicose/ Fungos

A onicomicose é uma infecção nas unhas, causada por fungos, que se alimentam da queratina, proteína que forma a maior parte das unhas. As unhas dos pés são as mais afetadas por enfrentarem ambientes úmidos, escuros e quentes com maior frequência do que as das mãos. Esse ambiente é considerado ideal para o crescimento dos fungos.

O pé do diabético

É uma série de alterações que podem ocorrer nos pés de pessoas com diabetes não controlado. Infecções ou problemas na circulação dos membros inferiores estão entre as complicações mais comuns, provocando o surgimento de feridas que não cicatrizam e infecções nos pés. Se não for tratado, o pé diabético pode levar à amputação.

  • Sintomas: Formigamento, perda da sensibilidade local, dores, queimação nos pés e nas pernas, sensação de agulhadas, dormência, além de fraqueza nas pernas. Tais sintomas podem piorar à noite, ao deitar. Normalmente a pessoa só se dá conta quando está num estágio avançado e quase sempre com uma ferida ou uma infecção, o que torna o tratamento mais difícil devido aos problemas de circulação.
  • Prevenção: Examinar os pés rotineiramente com um podólogo qualificado que vai verificar a existência de frieiras, cortes, calos, rachaduras, feridas ou alterações de cor. Nas consultas, avisá-lo imediatamente sobre eventuais alterações.

    manter os pés sempre limpos, e usar sempre água morna, e nunca quente, para evitar queimaduras. A toalha deve ser macia. É melhor não esfregar a pele. Mantenha a pele hidratada, mas sem passar creme entre os dedos ou ao redor das unhas, usar meias sem costura, o tecido deve ser algodão ou lã, evitar sintéticos como nylon, sempre cortar as unhas no podólogo capacitado que vai usar um alicate apropriado. Não se deve tirar a cutícula. Recomenda-se evitar idas a manicures ou pedicures, dando preferência a um profissional treinado, como o podólogo, o qual deve ser avisado do diabetes. Não andar descalço. Manter os pés sempre protegidos, inclusive na praia e na piscina, os calçados ideais são os fechados, macios, confortáveis e com solados rígidos, que ofereçam firmeza. Antes de adquiri-los, é importante olhar com atenção para ver se há deformação. As mulheres devem dar preferência a saltos quadrados, que tenham, no máximo, 3 cm de altura. É melhor evitar sapatos apertados, duros, de plástico, de couro sintético, com ponta fina, saltos muito altos e sandálias que deixam os pés desprotegidos. Além disso, recomenda-se a não utilização de calçados novos, por mais de uma hora por dia, até que estejam macios. Os danos nos nervos podem causar também mudanças na forma dos pés e dos dedos. Pergunte ao seu podólogo sobre sapatos terapêuticos especiais, ao invés de insistir e forçar o uso de sapatos comuns.

  • Tratamento: A abordagem deve ser especializada e deve contemplar um modelo de atenção integral, sendo o podólogo o responsável pela atenção primária, (educação, qualificação do risco, investigação adequada, tratamento apropriado das feridas), objetivando a prevenção e a restauração funcional da extremidade afetada.

Calos e calosidades ou fissura dos pés /rachaduras

Calos e calosidades podem surgir em qualquer área do corpo, desde que haja atrito e pressão constante. Porém, costumam aparecer mais frequentemente nos pés. Por exemplo, quando você usa repetidamente um sapato que força excessivamente o cantinho do dedo, além de criar ali um calo também pode ocasionar uma unha encravada. Quais as principais diferenças entre os calos e as calosidades “ou rachaduras”? Se é algo que já vem incomodando, o ideal é procurar um podologista para que ele determine melhor o tipo de lesão. Mas para ajudar aí vão algumas diferenças entre calos e calosidades:

Calos: São mais superficiais, maiores e, geralmente, são assintomáticos, a aparência é mais regular e é muito comum em todo tipo de pessoas.

Calosidades: São mais profundas e focais. Geralmente, dolorosas. Segundo a Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, as calosidades são localizadas em áreas de maior fricção e pressão, geralmente causadas por postura, quando há sobrecarga de peso em determinada parte da planta do pé, o atrito constante de sapatos pode piorar e inclusive, pode ser o fator causador. Quando há uma constância do contato e pressão repetida no uso dos sapatos apertados, favorece o aparecimento de calos e fissuras nos pés. Com um tratamento adequado podemos eliminar esse problema e gerar um alivio imediato nas dores causadas por ele.

Calo com núcleo

Já falamos um pouco sobre os calos e calosidades por aqui, vimos que eles surgem quando a epiderme que é a camada mais externa da pele, ao ser agredida, reage deixando o tecido mais grosso e provocando a morte do tecido e da célula. Apesar de parecer algo inofensivo, essa deformidade, caso não tratada da maneira correta, pode se desenvolver para estados mais críticos e doloridos. Como forma de melhorar o estudo e o tratamento, podemos classificar as fases que um calo pode atingir em quatro, são elas:

Primeira fase: É a fase inicial e aparentemente ‘inofensiva’, seus sintomas aparentes são a hipersensibilidade na pele e o engrossamento dela, o incômodo é leve e é quase indolor.

Segunda fase: É onde o núcleo do calo se desenvolve. Ele caracteriza-se por ser uma área circular e amarelada e surge bem no centro do calo. Esse núcleo se encontra em uma camada que está em contato com uma região rica em terminações nervosas, por esse motivo o calo passa a se tornar dolorido.

Terceira fase: O contato do núcleo com essas terminações nervosas provoca uma reação do corpo fazendo com que ele entre em estado inflamatório.

Quarta fase: Considerado estado terminal é quando o tecido ósseo envolvido no processo infeccioso é comprometido. Também é comum sentirmos incômodos nos calos quando o tempo muda. Isso acontece porque toda a matéria tem tendência a reagir a temperatura que está exposta (quando esfria ela se comprime e quando esquenta ela se dilata) e não é diferente com os nossos tecidos. Quando há mudanças climáticas o calo (tecido mais rígido) se dilata ou contrai provocando sensações incômodas nos tecidos nervosos.

Onicofose

A onicofose é uma calosidade que surge no canto do dedo e embaixo da unha. É um excesso de pele que muitas vezes pode ser confundido com unha encravada. Ocorre como uma resposta da pele a um atrito intenso. A fricção comprime um ponto do sulco contra a unha e, devido à pressão, há o surgimento do calo e/ou excesso de pele.

Podopediatria ou Podologia infantil

É o tratamento que visa a saúde dos pés de crianças de zero a doze anos de idade. Esse cuidado é essencial para assegurar o desenvolvimento correto dos pés dos pequenos a e prevenção de possíveis problemas no futuro. Algumas deformidades na pisada ou dores na fase adulta se devem a falta de atenção e cuidados durante a infância.
Os recém-nascidos devem receber atenção especial, pois neles o local que mais perde e recebe calor são nos pés. Médicos afirmam, também, que os primeiros três anos de idade são muito importantes porque estabelecem a forma básica dos pés.
A maior parte das alterações podológicas são hereditárias, porém a posição que a criança adota ao dormir e posição em que se encontram as pernas do bebe na barriga da mãe também podem provocar modificações nos pés dos pequenos. Isso acontece porque os pés infantis são muito macios e flexíveis, qualquer pressão anormal pode causar deformidades e isso só será percebido quando a criança começar a andar.

IMPORTÂNCIA DA PODOLOGIA INFANTIL: Você sabia que um bebê pode ter unha encravada ou que existe a possibilidade de um recém-nascido vir ao mundo com o dedinho inflamado? No primeiro caso, é uma situação relativamente comum e se deve ao formato da unha dos pequenos que facilitam o encravamento ou ao corte incorreto feito pelos responsáveis. Já no segundo caso, o problema geralmente é congênito e deve ser tratado imediatamente.
O acompanhamento regular de um podólogo é fundamental para avaliar a anatomia dos pés dos pequenos quanto a forma e tipo de pisada, prevenir doenças da pele ou unhas, dar orientações quanto os cuidados com os pés e o melhor calçado para cada idade e orientar quanto ao corte correto das unhas. Esses cuidados que a primeira vista parecem simples são fundamentais para garantir o desenvolvimento correto e prevenir o aparecimento de alterações funcionais e estruturais dos pés. 
Aqui na Clínica de podologia Liana Gonçalves somos referência em podologia kids, temos a qualificação que seu pequenino precisa e toda uma estrutura preparada, pensando exclusivamente nessa área da podologia que ainda é escassa de profissionais qualificados.

Verruga plantar ou olho de peixe

Verrugas plantares ou Papilomas Víricos são pequenas lesões cutâneas que se desenvolvem na planta (ou “solas”) dos pés. Uma verruga plantar é um vírus, o HPV (Papilomas Vírus Humano) e pode ser muito dolorosa. A maioria dos casos não é grave, no entanto, a procura de tratamento é importante para controlar a dor e possível progressão da lesão cutânea. Este tipo de verruga é mais frequente em crianças e adolescentes, especialmente aqueles que praticam desportos coletivos como natação ou dança.

  • Sinais e sintomas da verruga plantar: As verrugas plantares podem ser extremamente dolorosas. Geralmente, os primeiros sintomas incluem dor ou sensibilidade ao pressionar o pé no chão ao caminhar ou correr. Ao longo do tempo vão começando a surgir determinados sinais na planta (“sola”) do pé, a saber: Zona com pele dura, espessa (calo) e amarelada, um pequeno edema (inchaço) duro e áspero, pontos negros (habitualmente chamados de “sementes de verruga”, entre outros. Este tipo de verruga pode ser “solitária”, isto é, apenas uma se desenvolve ou ocorrer em mosaico / couve flor. Verrugas em mosaico são grupos de verrugas plantares que se agrupam e desenvolvem na mesma área da pele.
  • Causas das verrugas plantares: As verrugas plantares são causadas por uma infecção de HPV (vírus do papiloma humano) na camada externa da pele das plantas (ou “solas”) dos pés. Estas lesões cutâneas desenvolvem-se quando o vírus entra no organismo através de pequenos cortes, hemorragias ou outros pontos fracos na parte inferior dos pés este vírus “HPV” é uma infeção sexualmente transmissível (IST), o que faz com que o vírus seja muito perigoso, pois é capaz de provocar vários tipos de cancro, incluindo, no útero, no ânus, na vagina, na vulva, entre muitos outros. O HPV é um vírus muito comum, e existe uma grande variedade de estirpes do mesmo, no entanto, nem todos causam este tipo de lesões cutâneas. As verrugas plantares são, habitualmente, provocadas pelo tipo HPV-1.
  • A verruga plantar é contagiosa? O HPV não é facilmente transmitido por contato direto com uma pessoa infetada. Contudo, a transmissão deste vírus ocorre frequentemente em ambientes quentes e/ou húmidos, como em piscinas, balneários, ginásios, etc. Consequentemente, o vírus pode ser contraído após andar descalço nestes ambientes públicos. Após o contágio e o desenvolvimento de alguma verruga plantar, esta pode espalhar-se pela planta do pé, criando verrugas em mosaico (conjunto de verrugas plantares). O sistema imunitário (sistema de defesa) de cada pessoa responde de forma diferente ao HPV, isto é, nem todos os indivíduos que entram em contato com o vírus desenvolvem verrugas plantares.
  • Complicações da verruga plantar: O desenvolvimento de verrugas plantares dolorosas que não são tratadas no tempo certo, podem provocar uma alteração da postura, criando consequentemente problemas musculares e/ou articulares.
  • Diagnóstico da verruga plantar: O diagnóstico da verruga plantar é realizado por um podologista através do exame físico. O exame físico, em casos de verrugas plantares, consiste na avaliação da lesão cutânea, de modo a detectar pequenos vasos sanguíneos coagulados ou pontos escuros. Em casos mais graves, pode ser recomendada a realização de uma biópsia que consiste na remoção de uma amostra da verruga para ser avaliada em laboratório.
  • A verruga plantar tem cura? Como referido anteriormente, as verrugas plantares são provocadas pelo vírus HPV, que pode ser extremamente perigoso para o organismo. No entanto o prognóstico bastante favorável. Em casos de verrugas persistentes e dolorosas, é necessária instituição de tratamento adequado de modo a controlar a progressão e transmissão destas lesões cutâneas. Entre em contato conosco, temos profissionais altamente capacitados para te atender.

Ozonioterapia

A ozonioterapia na podologia representa uma das frentes de maior relevância na aplicação do Ozônio Medicinal.
O gás, que conta com benefícios comprovados contra dezenas de patologias das mais diversas origens, desempenha um efeito único no tratamento dos pés, já que é capaz de expulsar patógenos, estimular a circulação, cicatrizar feridas e ativar o sistema imune. Desta forma o tratamento com a ozonioterapia se torna uma eficiente ferramenta da medicina na podologia, trazendo resultados surpreendentes. Nós da clínica de podologia Liana Gonçalves somos também capacitados para este tipo de tratamento e temos ele disponível para atende-lo. agende agora uma consulta!

Laserterapia

O uso mais comum da laserterapia aplicada à podologia é para estimular a regeneração celular e proporcionar uma rápida cicatrização, o laser também reduz a necessidade de retornos para troca de curativos. A luz age sobre o local criando uma ação anti-inflamatória, eliminando com maior eficácia todos os fungos e bactérias presentes na região tratada, proporciona também uma ação de analgesia que auxilia no alivio da dor. Embora seja uma luz aplicada diretamente sobre a pele e unhas, não oferece risco de queimadura e também é indolor, já que é de baixa frequência.

Espessamento

Ocorre quando as unhas ficam mais duras e grossas e, geralmente, também escurecem. Pode doer. A micose pode levar a unha a adquirir um aspecto grosso, que chamamos popularmente de “unha de telha” ou “unha de gavião”. Não necessariamente toda a unha com esse aspecto sofre de micose. Isso pode acontecer somente pelo uso de sapatos apertados durante muitos anos.

Onicólise

A onicólise consiste no deslocamento da unha (placa ungueal) do leito ungueal, que é a parte que fica por baixo das unhas das mãos e dos pés. Com esse descolamento, é comum a unha mudar de coloração, ficando mais escura. Quando a unha (placa ungueal) está devidamente presa ao leito ungueal (ponta do dedo) ela mantém uma tonalidade rosada. Mas existem algumas condições que podem fazer com que ela se solte e mude de cor, o que é denominado Onicólise. Essa doença ocorre tanto nas mãos quanto nos pés. A unha afetada se solta lentamente até desprender totalmente. Além de afetar a aparência das unhas, a Onicólise requer atenção porque se não for tratada traz complicações. Diversos fatores podem desencadear a Onicólise e, muitas vezes, aquilo que fazemos no dia a dia afeta a saúde da unha, consulte-nos para saber mais.

Paroníquia

A paroníquia, também conhecida como “unheiro” geralmente é contaminado por um tipo de fungo que chamamos de Candida. A candidose é a mesma que pode surgir em pacientes com corrimento vaginal. Trata-se de um fungo oportunista que não é o culpado do surgimento desse tipo de problema, mas ele ajuda a piorar o quadro. Inicialmente há inflamação, com dor e vermelhidão da pele ao redor da unha. Isso acaba se tornando crônico e leva à perda da cutícula, que deixa de nascer. Com o tempo, a inflamação cede e há um aumento da pele dessa região, que se torna espessada e endurecida. Nesse momento, começa a ocorrer uma alteração no formato da unha e ela cresce ondulada e com alterações de cor e na superfície. Essa inflamação da pele ao redor da unha, ou seja, do tecido periungueal, pode ser provocada por fungos e bactérias, mas a principal causa é umidade constante,principalmente em pessoas que manipulam muito a água e produtos de limpeza. Ela é popularmente conhecida como “unheiro”. Para um tratamento correto e com resultados satisfatórios é de suma importância que se procure um podologista capacitado no cuidado dessas patologias, entre em contato conosco que podemos te ajudar.

Podogeriatria

Os pés são a nossa principal base de sustentação. Com o tempo todo o esforço realizado ao longo dos anos acaba por desgastar essa importante estrutura e como consequência, temos diversos problemas como calos, joanetes, dores crônicas etc. 
Com o objetivo de curar e melhorar todos esses males surge a Podogeriatria na Podologia. Esse ramo de conhecimento visa os aspectos preventivos à saúde dos pés da pessoa idosa e tem como foco amenizar alterações nos pés. São estas alterações que fazem com que o idoso adquira algumas limitações funcionais, causadas ou agravadas pelo processo de envelhecimento.

Importância da Podologia Geriátrica: O cuidado regular especializado é essencial para garantir não só a boa saúde como, também, para prevenir o agravamento de uma série de doenças. Um exemplo disso é o tratamento do pé diabético que, se não for cuidado com atenção e de forma correta pode ter como consequência a amputação do membro. 
Manter o corte de unha regular para evitar o encravamento da mesma, realizar a hidratação adequada e estar atento ao aparecimento de lesões, micoses e outras patologias são algumas das funções do podogeriatra. São esses cuidados que garantem não só a melhora do aspecto estético, mas também, a funcionalidade dos pés permitindo que a pessoa idosa possa caminhar e realizar suas atividades diárias de forma plena permitindo assim sua autonomia.

Destruição e deformidades

A unha fica frágil e quebradiça e isso pode levar às mais diversas deformidades.

Deslocamento da borda livre

Forma mais frequente em que a unha se descola, geralmente iniciando pelos cantos. O espaço fica oco, podendo acumular restos de queratina e bactérias, além dos fungos. O aspecto fica amarelado ou esbranquiçado. Nem toda a unha que está descolada sofre de micose. Isso pode acontecer pelo trauma de unhas compridas nos sapatos e em pessoas que correm ou praticam esportes de impacto como tênis e futebol.

NOSSOS

Depoimentos

Veja o que estão falando sobre nossa empresa no google.

EXCELENTE
147 avaliações em
Luzia Petricio
Luzia Petricio
11/04/2024
Acolhedor, ótimo atendimento passa segurança e confiança.obrigada
Rafael Dornelles
Rafael Dornelles
03/04/2024
Ótima profissional,super indico!
Kelly Andreia Prieto
Kelly Andreia Prieto
01/04/2024
Excelente atendimento
João Luiz Pereira Valsoni
João Luiz Pereira Valsoni
26/03/2024
Gostei muito, trabalho sensacional, atenciosos e explicam bem o tratamento para os pés, muito bom mesmo
Jack Jackson
Jack Jackson
08/03/2024
Atendimento excelente, desde a recepcionista até o procedimento realizado pela doutora Liana. Indico o consultório com certeza!
mario reis
mario reis
05/03/2024
Atendimento otimo

Através dos pés, temos contato com vários lugares, sensações e temperaturas, ele nos dá a capacidade de ir e vir e quase nunca tratamos com zelo e atenção essa parte fundamental do nosso corpo.

Pés bem cuidados atuam diretamente no seu dia-dia melhorando sua qualidade de vida e eles merecem cuidados especiais realizados somente por profissionais da podologia.

Podologista Liana Gonçalves Todos os direitos reservados.

Fale conosco!